CavillConservation & Durrell

#CavillConservation and Durrell

Henry é um Embaixador da Durrell Wildlife Conservation Trust, e criou a #CavillConservation para angariar fundos para a causa. Conheça e ajude!

 Royal Marines Charitable Trust Fund (RMCTF)

Royal Marines Charitable Trust Fund

Henry é o embaixador da RMCTF. Conheça mais sobre o trabalho da instituição e apoie essa causa com a gente!

 Batman Vs Superman

Batman Vs Superman

Henry volta as telonas como Superman. Estreia nos cinemas brasileiros dia 24 de Março de 2016!

 Fã Clube Brasileiro do PORTAL

Fã Clube Brasileiro

Faça parte do nosso fã clube dedicado ao Henry. FC Crazy for Henry Cavill BR.

 Cobertura UNCLE Brasil

ICYMI: Cobertura #HenryNoBrasil

Relembre a nossa cobertura exclusiva da passagem do Henry no Brasil para promover "O Agente da U.N.C.L.E."

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Adote Ben o Morcego


Henry Cavill é o embaixador da Durrell Wildlife Conservation Trust e para angariar mais fundos para a instituição de conservação animal, ele criou a #CavillConservation.

Primeiro ele criou o programa de adoção a Família Gorila da Durrell e agora, além da família gorila, nasceu um novo programa de adoção. Você pode se juntar ao Henry adotando o bebê morcego Ben.

video

Além de ajudar a sustentar o pequeno Ben, você irá receber em troca:

- Uma foto do Henry com Ben autografada;
- Um folheto especial sobre a adoção;
- Um certificado comprovando que você está contribuindo com Ben na Durrell;
- Marcadores de páginas do Henry e Ben;
- Foto do Henry com Ben;
- Um folheto que explica o porque que esses morcegos precisam da sua ajuda;
- Uma carta de agradecimento do Henry;
- Duas revistas da Durrell no ano.

Para todas as instruções e mais informações de como adotar o pequeno Ben Acesse o site da  CavillConservation

sábado, 21 de novembro de 2015

Entrevista com Bruce Wayne, o magnata engajado de Gotham

Conhecido por muitos como magnata, Bruce Wayne venceu o prêmio Melhores do Ano de Metrópolis por suas ações filantrópicas. Na categoria tecnologia era um fortíssimo candidato, mas não levou a estatueta dessa vez.


Eu o entrevistei na sede da Wayne Enterprises, em Gotham, com exclusividade para o Planeta Diário Sucursal Brasil. Numa sala de conferências ele me recebeu num alinhado terno e com uma aura de seriedade, que foi quebrada numa conversa descontraída.


Leena Clarckson: O senhor administra um império de tecnologia, com ramificações por todo o mundo e utiliza parte de seus lucros em causas filantrópicas como saúde e segurança. Ser reconhecido e premiado por isso aumenta sua responsabilidade?

Bruce Wayne: Primeiramente Leena, pode me chamar de Bruce – (diz ele sorrindo) -  e bom, a responsabilidade quando se fala em pessoas que enfrentam situações traumáticas de violência é muito grande. Para mim o reconhecimento de Metrópolis significa que agora, mais pessoas conhecerão o projeto e poderão fazer parte dele, o que é muito bom.

LC: Como elas podem ajudar?


BW: Veja, existem voluntários que prestam assistência em hospitais, escolas e em alguns centros de apoio para jovens. São médicos, psicólogos, professores, religiosos, nutricionistas e pessoas que não querem que o trauma de uma violência sofrida transforme momentos ruins em pessoas ruins. Todos sabem que para mim é algo muito pessoal. Se num momento como esses a pessoa, (principalmente um jovem), não tem apoio, alguém que a resgate e a ajude, ela se perde.


LC: Além desses projetos, você lidera a Wayne Enterprises que hoje está entre as 5 maiores empresas de tecnologia do mundo – também pratica esportes, gosta de pilotar veículos exclusivos, está a frente de pesquisas de novos dispositivos de comunicação -  e ainda tem uma agenda social muito badalada. Como concilia tudo isso? Você dorme?

BW: (risos) Sim minha agenda é agitada, a parte social em sua grande maioria tem sido para compromissos ligados a empresa. Não nego que são recepções muito agradáveis e acabo me divertindo, mas fazem parte do meu trabalho. Eu procuro participar ativamente de todos os projetos e a área de pesquisas sempre me seduziu. São tantos erros e acertos até que você consiga descobrir a fórmula, ou o caminho correto… Isso é fascinante! No fundo tudo se trata de fazer o que se gosta, então você não sente o peso da agenda porque gosta de cumpri-la. E eu durmo sim.

LC: Como Metrópolis se encaixa nesses projetos?


BW: Metrópolis é um grande centro, além de populosa tem muita tradição na área de educação, uma universidade e um hospital que são referências na região. Tem problemas como qualquer grade cidade, mas tem um cenário econômico incrível para qualquer empreendedor. É uma cidade de grandes oportunidades e eu não poderia estar fora disso.

LC: Apesar de sua força no ramo tecnológico, quem ganhou o prêmio nessa categoria em Metrópolis foi a LexCorp, do empresário Lex Luthor. Falando sobre essa área de sistemas operacionais para comunicação segura, qual sua opinião sobre o LEX/OS?

BW: Não posso falar com total segurança sobre o sistema até ele ser finalizado. Como a LexCorp ainda não o finalizou temos que aguardar para ver se irá funcionar como proposto. A ideia do projeto é uma premissa básica de telecomunicações: você precisa que o conteúdo de sua “conversa” chegue de forma clara e segura até o destinatário. Com todos os avanços tecnológicos e o surgimento de várias ferramentas, canais e dispositivos, esse controle se torna mais complicado, mas não impossível. Vou esperar ver como será o modelo final para poder declarar algo a respeito. Mas se a Wayne tivesse ganho eu estaria ainda mais satisfeito, é claro! 


LC: Além da premiação em Metrópolis, você foi eleito aqui em Gotham como o homem mais cobiçado da cidade. Isso mudou algo em sua rotina?

BW: (uma gargalhada) Nossa essa foi a grande surpresa do ano. Olha para mim e diga se eu sou isso mesmo?

LC: Acabou de me deixar numa saia justa. Estou trabalhando Sr. Wayne, não fuja da pergunta! (risos)

BW: Ok, como no momento não tenho nenhum relacionamento as pessoas ficam cogitando coisas. Estou satisfeito com minha rotina atual, mas não estou fechado caso apareça alguém que valha a pena. Porém, tem que ser uma mulher de personalidade para me acompanhar. Espero que nos encontremos.




Após um agradecimento e alguns comentários corriqueiros sobre Metrópolis e Gotham, ele saiu da sala para reuniões preenchendo toda a tarde. No meio de projetos no ramo de comunicações, segurança e até aeronáutica, a Wayne Enterprises não para.




quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O Agente da U.N.C.L.E chega ao NET NOW


Portal traz a novidade com exclusividade

Os agentes Napoelon Solo (Henry Cavill) e Illya Kuryakin (Armie Hammer) mal saíram das telas do cinema e já estão aterrissando na casa dos NETs de todo Brasil. O Agente da U.N.C.L.E estreia no NET NOW, serviço de vídeo sob demanda da NET, no dia 3 de dezembro para ser assistido quando, onde e quantas vezes quiser.
O filme é inspirado da série de TV da década de 1960 e é dirigido por Guy Ritchie, conhecido por Sherlock Holmes e Snatch – Porcos e Diamantes. O casting de U.N.C.L.E também conta com Hugh Grant, Elizabeth Debicki e Alicia Vikander.
O Agente da U.N.C.L.E. estará disponível na plataforma a partir do dia 03 de dezembro, em Cinema > Lançamentos, por R$ 9,90. O filme fica disponível por 48 horas.
Além de estar a um click do controle remoto (pelo canal 1 da NET HD), este e outros títulos podem ser assistidos em tablets e smartphones, pelo aplicativo, ou pela internet em NowOnLine

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Nana Pauvolih - A autora de Quando Vi Voce I e II João Pedro Valente inspirado em Henry Cavill


PHCBR Quando/como você começou a ser escritor?
NP: Sempre gostei de escrever, desde criança. Mas meu primeiro livro completo escrevi aos 11 anos, após uma aposta com um amigo. Íamos escrever um livro cada um e depois escolheríamos o melhor. O meu ganhou.

PHCBR Como você conheceu o trabalho do Henry e o que te chama atenção nele?
NP: A primeira coisa que me chamou atenção foi sua beleza espetacular. É tão lindo que me encantei e aí fui investigar o trabalho dele. A partir daí, passei a ver seus filmes e só me encantei mais.


PHCBR Qual é a ligação de Henry e seu personagem?
NP: Quando escrevi meus livros Quando vi Você e Quando vi você 2, em 2012, eu só conseguia ver meu personagem João Pedro Valente como o Henry. Via várias imagens dele e me apaixonava cada vez mais.

PHCBR Como foi o processo de criação do livro?
NP: Como em todos os livros que escrevo, o romance já vem completo na minha cabeça e eu me deixo levar por ele. Imaginar Henry como meu personagem foi uma delícia, facilitou ainda mais o processo criativo.

PHCBR Fora Henry Cavill, há mais alguma inspiração para a história ou personagens?
NP: Sim, sempre tenho inspirações. Em geral eu crio os personagens e só depois busco avatares que se encaixem.

PHCBR Já enviou um exemplar para ele?
NP: Não, nunca fiz isso.

PHCBR Quais são seus próximos projetos?
NP: São muitos. Estou terminando DE VOLTA AO PRAZER e vai ficar à venda ainda este ano. Começo do ano que vem lanço o terceiro livro da Série Redenção pela editora Rocco, Redenção pelo amor. Ainda ano que vem lanço a Série Segredos de modo impresso. E pretendo escrever entre 4 e 5 livros: “Do meu jeito”, “Até você chegar”, “Descobrindo Dalila” e “Renascer de Letícia”, além de dar início a uma nova série.


PHCBR Dizem que os personagens têm muito do autor. Qual dos personagens  de seu romance tem mais de você? Por quê?
NP: Sim, dou um pouco de mim para eles. Acho que Heitor Falcão tem muita coisa minha. Uma serenidade, uma paixão pela vida sem alarde, mas intensa. Antônio Saragoça tem minha voracidade para amar. Theo Falcão tem meu lado mais agressivo. E assim vai rs.

PHCBR Quais são os seus livros de cabeceira?
NP: Parábolas, de Gibran. Poesias de Vinícius de Moraes. AS Idades de Lulu. Livrinhos de orações. E gosto de ler coisas sexys, então, sempre tem um livro assim por perto. Também não dispenso um bom suspense.

PHCBR Quais são os seus autores favoritos?
NP: Nietzsche como filósofo para mim é imbatível. Tenho grande admiração por Machado de Assis. Amo Gibran e Vinícius de Moraes. Cassandra Rios também. Anais Nin.

PHCBR Esse "amor platônico" pode ser relacionado ao amor de fã? Que não conhece seu ídolo, mas ao ver, por exemplo o Henry, se apaixona a primeira vista.
NP: Sim. É um amor idealizado, um sonho, um desejo. O Henry, além da beleza, tem muito mais que desperta esse “amor”. Seu olhar é lindo, até meio doce. Seu sorriso faz a gente ter vontade de sorrir também. Ele desperta coisas boas demais.


PHCBR Hoje o universo BSDM é bem explorado. Você acredita que isso atrai a curiosidade ou interesse de muitos leitores?
NP: Sim. Há algum tempo era um tabu, as pessoas tinham curiosidade e deixavam quieto. Hoje há possibilidade de mais conhecimento sobre o assunto. Em geral um BDSM mais leve, até mesmo com romance, é o que mais atrai.

PHCBR Quais as características principais para um personagem masculino irresistível, em sua opinião?
NP: Força, determinação, caráter, paixão. Ser capaz de tudo pela pessoa amada. Um personagem autêntico, único, que desperta sonhos, desejos, vontade de conhecê-lo. Ele precisa trazer o leitor para todas as emoções da estória.

PHCBR O contraste dos personagens Vitor e João remete ao real e imaginário do homem perfeito... qual deles você acha deles que é mais próximo da realidade?
NP: O mais próximo é o Vitor. Se eu encontrasse um João Pedro pela frente, largaria tudo e sairia correndo atrás dele rs.

PHCBR Você vê o mercado de livros hot consolidado ou acredita que esse interesse no segmento seja passageiro?
NP: Os livros hot de qualidade vão permanecer. Aconteceu assim com Anais Nin, Henry Miller, alguns outros. Acho que o espaço conquistado fica, mas com bons livros. Os que seguirem modismo apenas passarão com ele.



Mais informações da autora em seu blog:

domingo, 15 de novembro de 2015

Leena Clarckson apresenta Metrópolis

Para que meus leitores do Brasil conheçam melhor a cidade de Metrópolis, farei uma apresentação de suas características principais. Assim - ao ler as matérias que o Planeta Diário envia com exclusividade para o Planeta Diário Sucursal Brasil e Portal Henry Cavill BR - você estará mais familiarizado com a nossa realidade.

Metrópolis fica no leste dos Estados Unidos, situada a poucos quilômetros de Nova Iorque e de Gothan. Com população atual superior a 1 milhão de habitantes é uma cidade que se destaca em áreas como ciências, tecnologia, medicina e no mercado financeiro.
Os lugares mais conhecidos, pontos obrigatórios para qualquer turista são:

Parque Centenário:
Maior parque público da cidade - sempre com muitas pessoas caminhando, praticando esportes ou fazendo uma parada para apreciar a área verde – tem lagos, área de exercícios, parque para as crianças e a famosa estátua do Superman - que irá receber uma restauração - para as comemorações do próximo dia do herói.


Universidade de Metrópolis:
Considerada um grande centro de conhecimento e vanguarda em pesquisas, a Universidade de Metrópolis é uma das mais conceituadas e tradicionais do país. Atua em parceria com várias empresas e centros acadêmicos e tem um lado filantrópico muito conhecido e apoiado por seus alunos e pela comunidade em geral.
Dela saíram graduados políticos, médicos, cientistas e várias personalidades do país.


Praça Glenmorgan e Avenida do Ontem:
Considerada a “Times Square” de Metrópolis, Glenmorgan está no cruzamento de duas vias importantes, bem no centro da cidade e abriga muitas lojas, restaurantes, teatros, cinemas e livrarias. Possui fama internacional de ter os melhores outlets da região e sempre tem muito fluxo de pessoas e veículos.


A Avenida do Ontem é o centro boêmio da cidade, localizado na região leste. Conta com pubs, cafés, barbearias, brechós e muitas livrarias. Os artistas alternativos elegeram a galeria da avenida principal como seu endereço oficial em Metrópolis.

Além disso a cidade também abriga um centro financeiro de peso e empresas de referência no mercado tecnológico como a LexCorp e a Wayne Enterprises.


Para os esportistas de plantão há o Estádio Shuster, sede do time mais popular de basebol da cidade, o Meteoros de Metrópolis.



Claro que se estiverem em Metrópolis e quiserem vir tomar um café com a redação do Planeta Diário serão muito bem-vindos. Nosso time sempre tem as melhores histórias para contar.Até a próxima reportagem!


Leena Clarckson para o Planeta Diário Sucursal Brasil e Portal Henry Cavill BR


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Durrell e IPÊ marcam presença no congresso Brasileiro de Primatalogia em Manaus


A equipe de Jersey da Durrell Wildlife Conservation Trust, que tem Henry Cavill como seu Embaixador, está no Brasil para o Congresso Brasileiro de Primatologia, que acontece está acontecendo em Manaus. O principal objetivo é discutir as necessidades de manejo e de conservação dos micos e saguis mais ameaçados do Brasil.

O parceiro brasileiro da Durrell, IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas. também está no workshop com o Programa de Conservação do Mico-leão-preto.

A pesquisadora do programa Gabriela Cabral Rezende realizou uma mesa redonda sobre o tema "Manejo Conservacionista de Primatas". E Claudio Padua também vai ministrar uma palestra que irá falar sobre a história de 30 anos desse programa que deu origem ao IPÊ.
O workshop também conta com a presença do chefe da área de mamíferos da Durrell, Domic Wormell.

Para conhecer mais sobre o trabalho do IPÊ com a Durrell, confira nossos posts especiais.

Continue ligado no PHCBR para novidades e mais informações do congresso.

Fonte:  Durrell

Henry Cavill e seus quadrinhos preferidos de Superman


O ator britânico Henry Cavill, 32, não assistiu aos filmes de Superman para se preparar paro o personagem que interpretou em o Homem de Aço.


Ele já declarou que preferiu ler os quadrinhos e entrar de cabeça no universo de Clark Kent/Superman para trazer mais realismo à sua interpretação do super-herói mais icônico dos quadrinhos. 


Em entrevistas ele conta seus 3 HQs favoritos do kryptoniano..

1- The Death of Superman, (A Morte do Superman).

Publicado em 1992, essa história foi ousada – como o próprio título já diz - “matando” o Superman.
Escrita por Louise Simonson, Jerry Ordway, Dan Jurgens, Karl Kesel e Roger Sttern, fez muito sucesso entre os seguidores de HQs e faz parte de uma sequência que engloba também O Retorno do Superman.

Os desenhistas desse volume foram: Brett Breeding, Doug Hazlewood, Dennis Janke e Denis Rodier.

Não foi a primeira vez que se cogitou a morte imaginária do herói. Em 1961, foi publicada A Morte secreta do Superman, e depois outras histórias onde ele foi, desde infectado por um vírus alienígena,  até mantido entorpecido por magia, (sendo inclusive realizado um funeral para ele).

Na revista de 1993, Cavill revela: “É uma história fantástica, e eu amo a arte gráfica. Isso mostra verdadeiramente o que o herói é capaz de fazer”.


2- The Return Of Superman, (O Retorno de Superman).

Publicada em 1993, faz parte da série A Morte de Superman.
Escrita por Louise Simonson, Dan Jurgens, Roger Stern, Karl Kesel e Gerard Jones, mostra o surgimento de 4 seres que reivindicam o lugar do herói morto e o seu retorno.

Dessa história, Henry conta “Eu gosto da maneira como o personagem está dividido em várias facetas”.




3- Superman: Red Son, (Superman: Entre a Foice e o Martelo).

Série de 3 volumes publicada em 2003, aqui o autor Mark Millar e o desenhista Dave Johnson exploram possibilidades diferentes para a vida do herói. Com uma chamada sugestiva: “O que teria acontecido se um foguete com um bebê kryptoniano tivesse caído na União Soviética”, a história mostra um Superman que chegou a Ucrânia e se tornou um defensor da classe trabalhadora.

Segundo Cavill: “Red Son dá uma perspectiva totalmente diferente para um mesmo personagem”.

Essas 3 HQs reafirmam que Henry gosta mesmo de personagens complexos e desafiadores.

E você, qual é o seu HQ preferido do Superman? Comente conosco!


quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Conheça o Fallout 4 - o jogo que conquistou Henry Cavill


Henry Cavill postou em suas mídias sociais, o novo 'brinquedinho' que adquiriu. Um videogame Fallout 4.  

Conversamos com um especialista no assunto da Fallout 4 Brasil, que nos explicou:

"O Fallout 4 é um jogo que foi lançado dia 10 para videogame e computador, porém existe uma versão mais cara, chamada versão de colecionador, que vem com esse Pip Boy, que é um bracelete que o protagonista do jogo utiliza.  Efetivamente é apenas uma carcaça de plastico com espaço interno para você colocar o seu celular, e então a partir de um aplicativo você terá acesso a algumas informações do jogo:  localização no mapa,  quantidade de itens, saúde do personagem etc. Digamos que é apenas um mimo para quem tem dinheiro, pois na verdade não faz diferença alguma ter esse acessório.  As mesmas informações você possui internamente no jogo apenas apertando um botão do controle ou teclado, e se você faz questão de ter tais informações em outra tela, basta baixar o aplicativo do fallout 4 no celular  pois é gratuito na PlayStore e AppleStore,  mas é claro que um Fã da serie Fallout adoraria ter esse PipBoy em sua estante."



IGN, também nos deu uma ajuda:

"Durante sua conferência na E3 2015, em meio à toneladas de novidades sobre Fallout 4 e até mesmo o anúncio de um joguinho para iOS chamado Fallout Shelter, a Bethesda revelou os primeiros detalhes sobre a edição de colecionador do novo Fallout. E ela parece incrível.
A edição de colecionador de Fallout 4 virá com um Pipboy, aquele assistente eletrônico que o protagonista do game usa no pulso, em tamanho real e totalmente funcional. A versão já está disponível para pre-compra. No site Amazon, o pacote sai por US$ 119,99 em versões para PC, Xbox One e PlayStation 4.
Você poderá até mesmo inserir seu celular (apenas iPhone) no brinquedinho e usá-lo com se estivesse dentro do game. Um aplicativo especial que simula o Pipboy será disponibilizado para Android e iOS no lançamento do game."

Pelo visto Henry passará horas com seu novo 'amiguinho'

A página brasileira no Facebook Fallout 4 Brasil diz:
"JOGADORES DE FALLOUT 4 NO PC JÁ SOMARAM 4,5 MILHÕES DE HORAS DE JOGO
Jogadores de Fallout 4, já estão quebrando recordes no PC e já deixaram GTA 5 para trás como game mais jogado do momento. Fallout 4 tem, neste momento, mais de 400 mil usuários simultâneos no Steam, colocando para trás também Counter-Strike: Global Offensive e Dota 2 como o jogo mais mais usuários ativos simultaneamente no Steam."

Assista o vídeo da página que Henry cita em seu FacebookFallout 4
video


terça-feira, 10 de novembro de 2015

O Dia da Lembrança por aqueles que não podem ser esquecidos


Na 11° hora do 11° dia do 11° mês em 1918, um acordo de armistício(1) foi assinado entre os Aliados, (a Entente composta por França, o Império Britânico e Itália, entre outros países), e os Alemães. Mesmo não se tratando de uma rendição, o acordo acabou com a luta real da Primeira Guerra Mundial – que seria oficialmente encerrada mais de seis meses depois com o Tratado de Versalhes.

Para todos os militares e suas famílias, a data significa: agradecimento, reconhecimento e lembrança. Com os Royal Marines - que tem o ator britânico Henry Cavill como embaixador de seu fundo de caridade - não seria diferente.


Na data histórica de 11 de novembro de 1918, as armas da Frente Ocidental ficaram em silêncio após mais de quatro anos de guerra contínua. O silêncio de dois minutos foi acompanhado por pessoas de muitas partes do mundo. A data ficou conhecida como Dia do Armistício, Dia da Lembrança ou Dia Poppy (=papoula).

video

Vídeo: Royal Navy

O símbolo dessa data - a Poppy -  surgiu quando em 1915, o médico canadense e tenente-coronel John McCrae escreveu o poema In Flanders Fields, (Nos campos de Flanders). Inspirado pela tristeza de presidir o funeral de seu amigo e parceiro no front Alexis Helmer, que morreu na Segunda batalha de Ypres. John escreveu o poema dentro de uma ambulância após observar que papoulas de um vermelho vivo floresciam nos campos de batalha e próximo as sepulturas dos soldados. O local onde ele criou o poema é hoje um memorial que leva seu nome, em Flanders, região da Bélgica.


Instituída pelo Rei George V, em 1919, a data vem sendo desde então o Dia da Lembrança daqueles que morreram em combate. A cada ano, os membros da Família Real participam de eventos da lembrança em todo o mundo, (o cerimônial britânico lembra da tropa de Commonwealth cujos soldados morreram enquanto serviam seus países), Os eventos terminam no Cenotáfio (2) em Whitehall, quando a Rainha lidera a nação em Memória com 2 minutos de silêncio.


A rainha Elizabeth e a família Real participaram dia 07 de novembro do Festival anual da Lembrança no Royal Albert Hall, e no dia 8 que é conhecido como o Domingo da Lembrança – o segundo domingo de novembro – depositaram coroas de flores no Cenotáfio.

video

A data gera comoção em todos os setores. As escolas recebem sementes de papoulas para plantio, é criada uma coleção especial de selos, há cerimônias de homenagens simultaneamente em várias partes do mundo.

O Museu Royal Marine, todas as quartas-feiras, disponibiliza contato com curadores e arquivistas especializados para quem quer pesquisar sobre antepassados militares. A Banda da corporação também participa com seu concerto anual para angariar fundos, celebrando o Dia da Lembrança.


Além do Fundo de Caridade Royal Marine, a Royal British Legion - fundada por veteranos da Primeira Guerra – também arrecada valores para dar suporte a militares com problemas psicológicos, mutilados e suas famílias. Em parceria com a War Graves Comission Commonwealth, a British Legion, desenvolveu o projeto www.everymanremembered.org.uk, para homenagear individualmente mais de um milhão de homens e mulheres que em serviço no local, foram mortos durante a Primeira Guerra.

Henry que se envolve e divulga as campanhas do Fundo de Caridade Royal Marine e tem seu irmão como integrante da corporação – o Major Nick Cavill – compartilha do desejo de não deixar essa data ser esquecida. Muito menos, aqueles que deram suas vidas em combate. O ator já usou a papoula, símbolo do Dia da Lembrança, em entrevistas e eventos. 

Nesse Dia da Lembrança,  11 de novembro as 11 horas, haverão 2 minutos de silêncio -  em várias partes do mundo -  por respeito genuíno pela perda e sacrifício dos outros. Ele está no período que comemora um século do combate que o originou, (2014 a 2018).


(1) – Definição de Armistício segundo o dicionário Michaelis: ar.mis.tí.cio
sm (lat armistitiuSuspensão de guerra. Tréguas de pouca duração.

(2)- Definição de Cenotáfio segundo o dicionário Michaelis: ce.no.tá.fio
sm (gr kenotáphion) Monumento sepulcral erigido em memória de defunto sepultado em outro lugar. 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

O Mapa dos Sonhos do IPE em parceria com a Durrell Wildlife Conservation


O projeto do Mico-Leão-Preto deu origem ao IPE (Instituto de Pesquisas Ecológicas), um dos mais renomados centros de pesquisa e preservação do Brasil. Já contamos em nossas matérias, que ele nasceu em parceria com a Durrell, organização com sede em Jersey e que tem o ator britânico Henry Cavill como embaixador.

Atuando no Pontal do Paranapanema - extremo oeste do estado de São Paulo – o intuito é garantir a preservação do mico-leão-preto, (uma das 4 espécies de mico que só existe na Mata Atlântica de interiores do Brasil), com a restauração de habitat “construindo” um corredor de árvores frutíferas e nativas da região.


 Na década de 50, quando a região começou a ser ocupada após a construção do Ramal de Dourados da estrada de ferro sorocabana, a cobertura florestal era de 85%. Hoje a realidade é inversa, somente há 16% de cobertura florestal, e o restante da região é composto por áreas agrícolas, (principalmente cana-de-açúcar), passagens e áreas urbanas.

Dentre as áreas protegidas, está a Estação Ecológica do Mico-Leão-Preto, que soma 6.600 hectares divididos em 4 partes de Mata Atlântica. Os pesquisadores seguem os micos em seu habitat para acompanhar seus hábitos, sua evolução, e fazem periodicamente coletas de sangue e pelos, para verificar a saúde e grau de parentesco dos animais.


O Mapa dos Sonhos, são as áreas prioritárias de reflorestamento para que essas 4 partes da estação ecológica se unam. Nem sempre é possível interligar os pontos com os corredores em linha reta, mas os moradores da região colaboram plantando mudas de árvores em seus quintais. O IPE fornece as mudas que a comunidade aprendeu a produzir – numa média de 25 mil mudas por mês – e distribui para a população. 


Da Durrell, vem a contribuição para a produção dessas mudas. Num programa que faz coleta de latas para reciclagem em Jersey, o montante arrecadado lá é revertido em mudas para o plantio aqui. Além disso com o Durrell Conservation Trust e suas campanhas,  que tem o apoio e participação de Henry, os valores arrecadados são revertidos para esse e vários outros projetos da Durrell em parcerias por todo o mundo.

Com isso a área no Paranapanema, aos poucos, se recompõe e com ela o equilíbrio do ecossistema também.

Para conhecer melhor o projeto dos Corredores assista ao vídeo do IPE


Sobre os projetos da Durrell Wildlife Conservation acesse Durrell Wildlife Conservation